O que acontece na infância não fica na infância

Há tempos sabemos da importância da infância para uma vida adulta feliz e saudável. Se uma criança que chora e pede para ser alimentada é ignorada pela mãe no momento do choro mas é atendida quando espera em silêncio, ela grava em seu subconsciente que quando quer alguma coisa não deve pedir e nem chorar, mas esperar, pois alguém vai perceber sua necessidade apenas em seu silêncio. Apesar de fazer muito sentido e parecer lógico, é algo pouco percebido. Esta criança se tornará um adulto que não luta pelo que quer, mas que espera silenciosamente. Pequenas atitudes podem influenciar o comportamento de um indivíduo a sua vida inteira sem que o mesmo nem se dê conta.

Podemos utilizar exemplos do nosso cotidiano para demonstrar. Imagine que seus vizinhos de porta com filhos tenham a seguinte rotina todos os dias. A mãe trata as crianças como um anjo enquanto o marido está em casa: fala baixinho e parece a melhor mãe do mundo, além de esposa exemplar. Porém, assim que o marido saí de casa, a mulher começa a gritar freneticamente com as crianças. Por vezes, tranca-as no banheiro ou no quarto para limpar a casa. O caso é claro: o casamento não vai bem, a mulher sempre competindo com a ex-mulher do marido e tenta a todo custo manter a casa na mais perfeita ordem. Quando o homem chega em casa, a mesma se encontra impecável e a mulher tranquila.

A pergunta é: o que aquelas duas crianças vão levar para suas vidas adultas sobre essas experiências com sua mãe? Será que sempre verão no pai o falso herói, que era capaz de transformar a mãe nervosa em uma pessoa calma e prestativa? Será que se darão conta algum dia da oscilação terrível de humor a que eram submetidos diariamente por conta da insegurança da mãe? De que forma esse tipo de experiência afeta a vida das pessoas quando já adultas? Será que todo estudo de psicologia e psicanálise nos permite mesmo olhar para trás e trabalhar o que nos foi feito quando ainda éramos tão vulneráveis e vazios de aprendizado?

Ser criança é ser um indivíduo vazio, pronto para aprender com seus pais, absorvendo tudo, sem possibilidade de filtrar o que é bom e o que é ruim. Não somos responsáveis por nossa infância e nem pelo que fizeram conosco. Sobre isso e para isso, utilizamos os recursos da psicologia. Mas somos sim totalmente responsáveis pela infância de nossos filhos. Que todo amor seja destinado aos nossos. E quando necessário vale buscar ajuda profissional, já que o assunto é tão sério, delicado e difícil.

São crescentes as evidências científicas que as crenças e emoções negativas podem contribuir para o desenvolvimento de doenças físicas, mentais, psíquicas, emocionais, entre outras. Nossas crenças constroem nossa realidade. Imagine poder identificar as crenças que geram medos e viver a vida em seu potencial máximo. Difundida em mais de 40 países e utilizada por mais de quinhentas mil pessoas, o principal para essa transformação é sua decisão de mudar. No Brasil, mais de cinco mil pessoas já transformaram suas vidas através do ThetaHealing®.

Fonte: ThetaHealingBrasil.blogspot.com.br

*ThetaHealing Institute of Knowledge® e Think®: trademarks of Nature Path Inc

**ThetaHealing® and ThetaHealer® are registered trademarks of THInK at http://www.thetahealing.com

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s