Problemas estomacais? Qual sentimento você não está digerindo?

Aceito ou rejeito? Prendo ou solto?

O aparelho digestivo compreende o tubo gastrintestinal e seus órgãos acessórios: língua, dentes, glândulas salivares e vesícula biliar. O tubo gastrintestinal é um tubo que se estende dos lábios ao ânus, sendo que cada parte que o forma, é chamado por um nome distinto, como boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado e grosso, cada parte contribuindo distintamente para uma finalidade comum, ou seja, a transformação dos alimentos em substâncias que possam ser aproveitadas pelas células do organismo.

As causas não físicas dos males do estômago estão vinculadas a um sentimento de rejeição oriundo da dificuldade em “digerir” novas situações, pessoas e circunstâncias que são vistas e entendidas como ameaçadoras ou que promovem a necessidade de adequação, aceitação, libertação e solução.

A possessividade e a raiva podem gerar dificuldades digestivas o pavor e o medo podem gerar náuseas e vômitos, o vômito é, na verdade, o ponto culminante da rejeição.

Entretanto, diz o Dr. Luiz F. Figueiredo, “considerando a gravidez, onde os enjoos e vômitos são frequentes, essa rejeição deve ser mais bem analisada, pois comumente as pessoas enquadram os vômitos e náuseas como fatores de rejeição ao bebê exclusivamente, e não é bem assim. Excetuando as causas palpáveis que englobam uma série de modificações no organismo em virtude da gravidez e considerando as causas metafísicas, a rejeição pode estar associada a diversos fatores, tais como:

– Rejeição ao sêmen, proveniente de dificuldades no relacionamento entre o casal, momentos de crise impróprios para a gestação, uniões estabelecidas sem a participação amorosa-afetiva e também fatores mais contundentes quando a gravidez é decorrente de atos de violência;

– Rejeição à função, revelando que este sintoma é decorrente do medo dos encargos da maternidade, o medo de não conseguir dar cumprimento as obrigações de “futura mamãe”, o receito da responsabilidade que o ato de ser mãe encerra, receio de não atingir às expectativas dos familiares, entre outros anseios”.

As náuseas e vômitos estão comumente ligados a presença de fatores ou situações inusitadas que rejeitamos, encargos que não suportamos, pois no sentido vulgar, tudo aquilo que se nos apresenta como novo, tudo o que não dominamos, e que nos ameaça, “mexe e revira” o nosso estômago.

Os Drs. Thorwald e Rudiger esclarecem: “o estômago recebe todas as impressões que provêm de fora e que deve digerir”.

A capacidade de receber implica em estar aberto, exige passividade e propensão no sentido de uma capacidade de entrega. Com essas características, o estômago representa o polo feminino.

Ao lado da capacidade de recepção, o estômago cumpre outra função que devemos atribuir ao polo masculino: a produção e distribuição de suco gástrico (ácido). Os ácidos atacam, ardem, corroem, são visivelmente agressivos.

O estômago reage com um aumento do seu teor de acidez produzindo sucos corrosivos no nível físico, numa tentativa de digerir e de lidar com sentimentos que simplesmente não são materiais – um empreendimento difícil, que provoca vários arrotos e sensação de uma pressão ascendente, cuja função é nos lembrar que é preferível não engolir os sentimentos, poupando ao estômago a tarefa de digeri-los.

Em outras palavras, o ácido sobe porque precisa ser expresso. É aí que o paciente tem problemas estomacais. Falta-lhe a capacidade para lidar com seus aborrecimentos e com a sua agressividade de forma consciente, resolvendo seus problemas através de um senso de responsabilidade pessoal.

O indivíduo que sofre do estômago, deixa totalmente de demonstrar sua agressividade (engolindo tudo) ou exagera na agressividade – embora ambos os extremos não o ajudem a resolver de fato os problemas, pois ele carece de uma base segura de autoconfiança e da sensação fundamental de proteção, para confrontar com independência os obstáculos.

É alguém que não quer se permitir ter conflitos. Sente saudade da infância livre de atritos, embora não tenha consciência do fato. Em síntese, a tendência básica de digerir os nossos sentimentos, as nossas paixões para dentro, em vez de para fora, provoca com o tempo a formação de úlceras gástricas (elas não são de fato excrescências ou tumores, mas perfurações na parede do estômago). Nesse caso, o estômago não digere algo que provém do exterior, mas a sua própria parede! A pessoa está digerindo a si mesma.

No caso de males estomacais e digestivos, devemos nos fazer as seguintes perguntas:

– O que não posso ou não quero engolir?

– Algo está me moendo por dentro?

– Como lido com meus sentimentos?

– O que me deixa tão azedo?

– Como expresso a minha agressividade?

– Como fujo dos conflitos?

– Existe em mim alguma saudade reprimida de um paraíso infantil, livre de conflitos, em que eu só seja amado e cuidado, sem precisar me esforçar para nada?

No livro “Linguagem do corpo”, escrito por Cristina Cairo, explica que o estômago simboliza a forma como assimilamos a vida e como digerimos as ideias, na Bíblia está escrito: “não é o que entra pela boca que contamina o homem, mas o que sai dela”. As pessoas reclamam da vida, resmungam o tempo todo, demonstram pessimismo, sempre dão seu “contra” antes de aceitar uma ideia, reclamam dos vizinhos, dos filhos, do marido, da esposa, acreditam no pior, etc., são as que provocam fortes dores no estômago, como uma projeção de uma “indigestão” mental.

Se você tiver dúvidas quanto ao seu comportamento, pergunte aos amigos, ou às pessoas da família, como você é. Eles podem ajudá-lo a ver e perceber seus hábitos.

No começo você teimará por dizer que é mentira ou exagero das pessoas, mas depois perceberá que aquilo que está ouvindo reflete exatamente a imagem que os outros têm de você.

O medo de encarar o presente e sem poder desabafar, devido ao seu orgulho, a hipersensibilidade que lhe provoca mágoas, pensamentos destrutivos que nunca são eliminados da sua mente, tudo isso junto faz você achar que o mundo é perverso e sem descanso.

Veja como você se destaca dos demais pelo seu ceticismo e teimosia. Todos estão sempre lhe dizendo: “descanse um pouco”, “não passe nervoso”, “você precisa se distrair um pouco”, e tantos outros conselhos que lhe massageiam o ego.

Saiba que, se você não quer abrir mão de alguns maus hábitos, mesmo que lhe causem problemas sérios, é porquê você necessita da atenção de certas pessoas, pois agindo como vítima, sua “muleta” será garantida por alguém que você chantageia constantemente. Isso mostra o quanto você deve crescer e buscar o autoconhecimento, para admitir essa verdade e policiar-se.

Pare de agir como criança e senta que para ser feliz é preciso ser alegre e otimista nas opiniões, nas atitudes, na fisionomia e em todos os setores de sua vida.

Quando você conquistar ou resgatar a coragem, a força de vontade, o amor-próprio, a independência emocional e financeira e compreender que, por trás de suas lamentações, se esconde o desejo de “pedir” algo a alguém, então você mudará completamente sua postura e assumirá seus problemas com sabedoria e em silêncio.

Se você está em conflito com alguém próximo e isso lhe causa profunda mágoa ou raiva, ou se está sempre tentando provar o contrário do que os seus adversários afirmam, saiba que você está nadando contra a correnteza e com certeza perdendo seu precioso tempo.

Deixe as coisas fluírem naturalmente. Lógico que você deve lutar pelo seu ideal, mas ouça suas intuições e sinta o momento de parar com a teimosia e talvez mudar a estratégia.

Pare e analise seu comportamento. Deixe de lado o seu costume de analisar o comportamento das outras pessoas. Seja sincero consigo mesmo e reconheça que sua teimosia é do tamanho das suas dores de estômago.

Exatamente por você ser uma pessoa extremamente responsável, criativa, eficiente, cautelosa, perfeccionista e sensível, é que acaba entrando em atrito, às vezes secretamente, com pessoas que não pensam como você. Aprenda a ser mais tolerante e compreensivo, pois nem sempre a sua verdade é a verdade dos outros.

O que você acha que é certo, pode não ser certo para outras pessoas, e o que lhe causa tristeza pode ser considerado por outras pessoas apenas exagero de sua parte. Saiba compreender o mundo alheio e tente, pelo menos, respeitar as opiniões e desejos que são diferentes dos seus.

Existem várias portas onde estão as respostas que desejamos, mas enquanto estivermos apegados às velhas ideias, não enxergaremos a saída de nenhuma delas. Procure ignorar os detalhes de uma questão complicada, porque você vai acabar se perdendo no meio deles e passar muito nervosismo entender cada um.

Os detalhes representam muito pouco na solução de determinadas questões e o que realmente importa no processo de solucionar algo é um comportamento reto, decidido e determinado. Muitos detalhes levam à neurose, se você não souber lidar com eles, cuidado!

Seja flexível com você mesmo e com as ideias dos outros. Isso o ajudará a encontrar o equilíbrio emocional e a velha modéstia, que tanto engrandece os seres humanos. Destrua essa postura de vítima, encare o mundo de frente e com desejos de progredir, sem depender de ninguém para nada.

GASTRITE

É o sinal das incertezas arrastadas por muito tempo. Você precisa ser compreendido, amado, confortado e ajudado. Isso é maravilhoso, mas na prática não cai do céu. Ajude-se, primeiro, decidindo sua vida, pois ninguém pode passar por situação alguma no seu lugar.

Sinta-se livre para agir e acontecer. Você precisa acreditar no melhor e relaxar.

Confie na ajuda espiritual e solte-se. Pare de remoer pensamentos e angústias, seja mais determinado em seu comportamento e encare os seus erros com naturalidade.

Entenda que todas as outras pessoas também estão em busca de felicidade e que elas também erram para conseguir acertar. Perca o hábito de acreditar que sua alimentação é que está errada, ou que, eternamente, você terá de manter uma dieta especial devida à gastrite.

Quanto maior for o seu medo de comer, mais o alimento lhe fará mal. Alimente-se com amor e gratidão e permaneça em paz profunda quanto estiver almoçando ou jantando.

Afaste os tumultos de seus sentimentos e pensamentos na hora da refeição. Seu estômago apenas sofre as consequências dos desequilíbrios emocionais. Quando o pessimismo se torna um hábito, o portador desse mal nem percebe que está carregando esse vírus por toda parte.

Preste mais atenção em suas frases e sua conduta e corrija-se imediatamente, porque senão a sua conduta acomodada pode fazer com que a sua gastrite se transforme em úlcera.

Respeite as opiniões das outras pessoas porque se tentar muda-las obstinadamente, elas tentarão mudas as suas e as consequências disso serão trágicas. Seja uma pessoa de paz e, se você sentir que esse ambiente não combina com o seu modo de viver, então, mude-se.

ÚLCERA

De onde você tirou tanto medo? Essa insegurança que foi registrada em sua mente inconsciente não tem fundamento.

Se seus pais criaram um filho dando-lhe injeções de repressão, foi porque acreditaram que essa a melhor maneira de ajuda-lo a crescer. Compreenda que a vida é reflexo daquilo que acreditamos e que ninguém pode ter culpa de nossas incertezas. Passe a trabalhar seu autoconhecimento e inicie um bom sugestionamento, pois é através de pensamentos positivos e confiantes que você se recuperará.

Antes de dormir diga, repetidamente: “sou livre e feliz, sou calmo e seguro, decidido, rápido e confiante em todas as situações de minha vida”.

Fazendo esse exercício antes de dormir e após acordar, sua mente estará repleta de confiança e coragem em você, aos poucos, estará acreditando, convicto, em seu sucesso e a úlcera desaparecerá.

O importante a saber é que, quanto mais nos sentiremos gratos pelas coisas simples da vida, mais saúde teremos em reconhecimento ao fluxo energético da natureza.

Agradeça o alimento que está em seu prato e jamais coma com raiva ou desprezo. Harmonize-se antes de sentar à mesa, pois é muito bom respeitar o pão nosso de cada dia.

Seja uma pessoa sensata e tranquila quando estiver conversando com alguém, passe-lhe suas ideias com carinho sem imposições. Deixe-as livres e largue mão dessa mania de reter ressentimentos porque ninguém tem a obrigação de entende-lo e aceita-lo.

Comece já a descobrir o seu mundo interior e você perceberá quanto tempo perdeu insistindo em coisas que você, na verdade, nem precisava conquistar. Amplie a sua consciência e cresça para que a vida possa ajudá-lo.

Teorias não levam a nada. Ponha em prática um novo personagem em seu corpo. Represente um outro papel no palco desta vida e exercite-se para entender o que é autoconhecimento.

Se você continuar de olhos fechados para novas ideias, com medo de se arriscar, também continuará a sofrer por dentro de um mundo restrito, criado por você mesmo. Abra-se sem medo e saiba aceitar os primeiros erros de sua nova vida.

Errar faz parte do processo normal para se aprender algo. Aos poucos você ficará admirado com sua capacidade de mudança e até ajudará outras pessoas que estavam na mesma situação em que você se encontrava.

Então, o que há? Qual é o problema, agora? Não complique as coisas, simplifique-as!

AZIA

Azia é medo! Puro medo! Pergunte-se: medo de quê?

Realmente não é fácil admitir que se está com medo, até porque ninguém gosta de sentir-se fraco ou sem coragem diante de uma situação. Quando você conseguir relaxar profundamente, sentir-se psicologicamente seguro e confiar no “seu taco” com plena convicção, então estará definitivamente livre desse terrível mal que “ataca”, principalmente, empresários e pessoas em posição de destaque, devido ao orgulho forte, natural dessas pessoas.

Se a azia o incomodar novamente, busque conforto com os amigos, distraindo-se ou mesmo pensando na pessoa que mais lhe proporciona alegrias. Respire fundo, lentamente, e recuse-se a sentir medo… seja lá do que for.

Às vezes não percebemos nem que estamos temerosos face a uma determinada situação, nem que estamos fazendo uma “tempestade em copo d’água” em cima da realidade.

As ideias fixas só prejudicam você. Deixe fluir, naturalmente, o que está para acontecer, sem dúvida, mesmo que não seja da forma que esperamos, tudo se resolve, sempre.

(Ingrid Iribame)

Saiba que a técnica ThetaHealing® pode identificar quais são as causas ou as crenças que fazem você ter problemas estomacais, impedem que você se expresse, saiba lidar com seus sentimentos, medos e com os acontecimentos. Escolha a sua saúde, escolha ficar bem, sim, é uma questão de escolha, porque merecedor de uma saúde perfeita você já é.

*ThetaHealing Institute of Knowledge® e Think®: trademarks of Nature Path Inc

**ThetaHealing® and ThetaHealer® are registered trademarks of THInK at http://www.thetahealing.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s