Famílias disfuncionais

A família é muito importante, já que é nela que as crianças se educam e começam a adquirir certas habilidades para se comunicar com os demais e lidar com o mundo.

As famílias tóxicas são criadas através de padrões de comportamento prejudiciais que não respeitam a individualidade de todos os seus membros.

Entre outras questões, é comum que nestas famílias um ou mais filhos sejam o alvo de agressões psicológicas ou físicas que prejudicam o desenvolvimento e o crescimento saudável de um clima afetivo e estável. Seja como for, as famílias tóxicas são tão diversas quanto o número de atitudes destrutivas.

As pessoas dessa família terminam unidas pela obrigação, não pela devoção. Onde dizemos unidos, leia-se presentes.

Evitar a abordagem de um problema é uma das características mais comuns e prejudiciais. Esta é a comunicação deteriorada em estado puro. Na verdade, a incomunicação verbal não implica uma não comunicação, pois mesmo o silêncio comunica.

Nestes casos, o que o silêncio transmite é tensão e perigo, o que convive com a mensagem discordante e autodestrutiva de “não é nada”.

Não falar dos conflitos gera verdadeiras bombas emocionais. Estas bombas tornam-se maiores com o tempo, chegando a destruir todo o castelo quando um dia, de repente, explodem. Isto leva à destruição de todo o bem-estar, mesmo que este seja pura miragem.

Uma pessoa contaminada por contatos tóxicos que comprometem a sua individualidade termina sendo vítima da necessidade de aprovação.

Isto leva à suposição de responsabilidades dissonantes e pouco saudáveis. Os membros tomam atitudes extremas de superproteção ou de agressão, o que impede o desenvolvimento socioafetivo saudável.

A falta de interesse total para com a criação ou o contato emocional dentro da família. Isto é quase a mesma coisa que falar de abandono, uma das grandes feridas da infância que persiste quando somos adultos.

Entenda-se então que a superproteção é o polo oposto da autonomia e da liberdade, de modo que cria grande dependência e dano emocional. Quer um filho inseguro? Quer uma pessoa que não tenha confiança em si mesma? A superproteção é o que origina esses graves problemas emocionais dos quais não será fácil sair.

As pessoas superprotetoras obtêm grandes ganhos secundários pelo excesso de cuidado, pois assim tornam dependentes os superprotegidos e mantêm a sua vida controlada em todos os aspectos. Isto é, de certa forma, sinônimo de manipulação.

É importante saber que o amor da família pode não ser saudável e por isso devemos questioná-lo. A família não tem que ser boa só pelo fato de ser sua família: às vezes esta é muito tóxica. O que você pode fazer é buscar ajuda, traumas e crenças adquiridos ao longo da nossa vida, mesmo vindas do ambiente familiar, podem ser curados. E o ThetaHealing pode te ajudar, identificando quais são e se as situações que você vivenciou realmente são as causas dos problemas manifestados na vida adulta ou, se eles serviram como gatilhos de memórias herdadas.


Emeli Scabeni atende na modalidade à distância e presencialmente na região sudoeste do Paraná, nas cidades:

  • Pato Branco: Honraria Barbearia Premium;
  • Coronel Vivida: Espaço Benessere;
  • Chopinzinho: Equilibrium Estética e Terapias Integradas.

Ligue ou envie mensagem no WhatsApp para: (46) 9 9116-8084

Escreva para: emeliterapias@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s